História e Missão

A entidade gestora do Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo SA constituiu-se a 28 de Dezembro de 2011, sob a forma de uma sociedade anónima, adotando como denominação social de PCTA – Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo, S. A., e como objeto social a “conceção, criação, desenvolvimento e gestão do Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo”. Tem como objectivo de conceber, criar, desenvolver e gerir o próprio PCTA, uma infraestrutura de acolhimento e suporte às iniciativas de promoção e transferência de I&DT no quadro do Sistema Regional de Transferência de Tecnologia (SRTT).

WebIniciou a sua atividade em 9 de Janeiro de 2012.O capital social inicial da entidade é de quinhentos e setenta e cinco mil euros distribuído por 9 fundadores:

  • Universidade de Évora,

  • Banco Espírito Santo, S. A.,

  • GLINTT – Global Intelligent Technologies, SGPS, S. A.,

  • Instituto Politécnico de Santarém (IPS),

  • Instituto Politécnico de Portalegre (IPP),

  • Instituto Politécnico de Beja (IPB),

  • Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo, S. A. (ADRAL),

  • DECSIS – Sistemas de Informação, S. A.,

  • Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE)

 

O PCTA é um polo de atração empresarial e de I&D, com o papel de instituição pivot do SRTT. Pretende fomentar as redes, a cooperação e parcerias entre os centros de saber, empresas e outras instituições com vista à promoção do crescimento, desenvolvimento e criação de riqueza com base no empreendedorismo, na inovação e na internacionalização.

O modelo de gestão definido para o PCTA será um modelo articulado, interativo e adequado às necessidades da região, que pretende incentivar o desenvolvimento empresarial e científico e tecnológico. Deste modo, entre outros objetivos o Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) tem como missão:

  • apoiar a expansão das atividades cientificas e tecnológicas regionais e promoção do efetivo de recursos humanos da região em atividade de I&D;

  • incentivar o aumento do investimento em I&D na região;

  • promover, de uma forma ativa, a inovação e a consciencialização da sua importância na cultura empresarial como principal fator de competitividade e resultado da existência de cooperação entre as empresas e outros agentes do sistema de inovação;

  • apoiar a política pública de inovação, nomeadamente na sensibilização das reais necessidades do mercado;

  • apoiar o desenvolvimento local de competências, conhecimento, infraestruturas e serviços de suporte que se constituam como polos de estímulo e transferência de tecnologia ao tecido empresarial;

  • estimular a criação de novas atividades de base tecnológica em sectores emergentes que promovam a diversificação do tecido produtivo para áreas de maior intensidade tecnológica e apoiar na renovação de atividades económicas mais tradicionais;

  • ajudar a promover a cidade de Évora, para o ranking das “cidades inteligentes”, e por conseguinte a região Alentejo.

 

Dirige-se essencialmente ao mercado nacional, mais concretamente à região do Alentejo, tem uma forte expectativa com o mercado externo, com objetivo de se constituir como uma alavanca para a internacionalização das entidades sediadas no seu espaço, a partir das redes de ligações europeias e internacionais em que pretende estar inserido.

Desta forma, o PCTA contribuirá ativamente para o desenvolvimento empresarial, criação de riqueza e de emprego, para a promoção e internacionalização dos seus produtos e serviços, e para a atração de investimento para a região. Fomentará deste modo a competitividade, a inovação e o conhecimento.

O PCTA pretende ser um parceiro da Rede de Ciência e Tecnologia do Alentejo e vai apoiar no objetivo de aumentar a competitividade do Alentejo e melhorar a qualidade de vida dos seus habitantes.

stuff_web-02

 

 

Clientes:

 

Os clientes-alvo são todas as entidades do SCTN e empresas inovadoras de base tecnológica e científica;

 

As empresas prestadoras de serviços de apoio ao parque, cujas atividades facilitam as residentes, e atuam ao nível da qualidade de vida de todos os utilizadores da infraestrutura.

 


Serviços:

 

Os serviços a promover oferecem não só um ambiente propicio à inovação e à transferência de conhecimento vocacionado para o mercado, com o alojamento de entidades ligadas ao Sistema Cientifico Tecnológico Nacional (SCTN) e ainda empresas inovadores de base tecnológica e científica, mas também uma “package” de serviços a disponibilizar às entidades nele ancoradas e que se revelam como fundamentais à fixação de mão-de-obra qualificada.

 

  • Serviços Centrais
  • Gestão do PCTA
  • Atendimento
  • Apoio Técnico, Promoção e Divulgação
  • TIC & Project Management Office PCTA
  • Espaço Empresas
  • Salas de Reuniões
  • Sala Multimédia
  • Espaços de Promoção e Demonstração
  • Auditórios e Sala Polivalente
  • Restauração e Bar
  • Lojas

 

O PCTA terá apenas estes serviços disponíveis apenas após a inauguração do edifício

 


Evolução do Projecto

 

Face à necessidade de reajustar as operações alvo, imposta ao InAlentejo, em meados de Junho de 2012, por forma a viabilizar a reafectação de verbas ao conjunto de projetos que integram o SRTT, foi necessário reformular o projeto, dividindo a implementação em 2 fases distintas:

 

  • 1ª fase componentes de despesa que viabilizarão o mínimo necessário ao arranque da atividade do Parque. Esta fase tem o valor de €3.627.175,25;

  • 2ª fase de investimento com o restante programa com apoio, em candidatura no próximo quadro comunitário de apoio.

 

O PCTA enquanto projecto global apresenta um montante de investimento global de €5.726.167,48.

O Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo irá ser implantado numa área total de 25.312,72 m2, no centro urbano de Évora, com uma área total de construção de 10.500 m2.

Veja aqui o PCTA em 3D

Neste momento, o PCTA tem um concurso público no mercado que se destina à construção da 1ª fase das infraestruturas (Anúncio de Procedimento n. 4711/2013 de 20 de Setembro)